O primeiro livro brasileiro

Hoje em dia existem muitas formas de se ler um livro, seja através das clássicas bibliotecas, livrarias e sebos, até as formas mais atuais de leitura como os e-books ou livros virtuais. Sabemos que a internet ajudou muito a popularizar a leitura na nossa sociedade – hoje em dia basta procurar o nome do livro que você queira ler no Google e pronto, irá aparecer tudo sobre o autor, onde comprar o livro e todas as informações sobre o mesmo.

Porém, você já se perguntou qual foi o primeiro livro escrito no Brasil?

Marília de Dirceu, escrito por Tomás Antônio Gonzaga, um poeta luso-brasileiro e maior representante do Arcadismo brasileiro, foi impresso em 1812. Foi escrito em Vila Rica, Minas Gerais, onde ele vivia. O livro de cunho autobiográfico, fala sobre a paixão entre dois pastores de ovelhas através de um conjunto de poemas e liras, o narrador usa como inspiração uma paixão vivida entre ele e Maria Joaquina Dorotéia Seixas. Essa paixão fora desaprovada pela família dela, pelo fato de Maria Joaquina ter 17 anos e Tomás Antônio, 40.

O livro é dividido em três partes. Na primeira parte da obra, que fora publicada em 1792, o autor foca na beleza de sua amada, sempre exaltando-a.

Na segunda parte, publicada em 1799, começa-se a perceber um tom de solidão, já que o autor vai preso porque o mesmo esteve envolvido no movimento da Inconfidência Mineira.

Já na terceira parte, publicada em 1812, o tom depressivo, de melancolia, pessimismo e solidão é facilmente notado por quem lê. Devido a seu exilamento na África o autor fala sobre a saudade que sente da mulher que ama.

As três partes desta obra compõem um total de 80 liras e 13 sonetos.

Marília de Dirceu, por ser um livro de domínio público, pode ser lido gratuitamente. Recomendamos a todos a leitura deste livro, já que é um clássico importante na literatura brasileira.